sexta-feira, 16 de maio de 2014

Operação de Varizes


As varizes dos membros inferiores são uma doença bastante comum, particularmente em mulheres adultas. São caracterizadas por veias superficiais dilatadas e tortuosas nas pernas e coxas, e estão relacionadas a dores e inchaços, além do desconforto estético. 
Infelizmente, até hoje não existe nenhum tratamento medicamentoso para as varizes.
Remédios farmacêuticos ou naturais podem aliviar os sintomas clínicos, mas são incapazes de fazer veias varicosas voltarem a ter aspecto e função normais. 
Assim, as técnicas cirúrgicas são as únicas possibilidades de remover as varizes dos membros inferiores. Embora na última década novas tecnologias de tratamento tenham surgido (como o LASER cirúrgico e cateteres de radiofrequência, que serão abordados em uma coluna posterior), a cirurgia convencional de varizes ainda é o método mais difundido, acessível e consagrado de tratar o problema. Vamos nesta coluna discutir suas vantagens e limitações. 

Primeiramente, vamos entender de maneira simplificada como é feita a cirurgia de varizes. Inicialmente, antes da anestesia, o cirurgião vascular usa uma caneta especial para demarcar as veias varicosas, diretamente sobre a pele da paciente. Esta demarcação é essencial para que ele saiba onde estão os vasos doentes que necessitam ser removidos. Após a anestesia, o cirurgião faz uma série de incisões (cortes) pequenas, superficiais e distantes entre si, próximo às veias doentes (exceto as safenas), e com o uso de agulhas cirúrgicas (semelhantes às de crochê), "puxa" estas veias, removendo-as. Tais incisões costumam ser tão pequenas que não necessitam de sutura (pontos), bastando um curativo para fecharem. Esta fase da cirurgia não ocorre apenas na técnica convencional: os métodos modernos citados acima também a usam para retirar as veias menores. 

Caso o (a) paciente tenha a veia safena (nada a ver com "ponte de safena", ok?) também varicosa, é usualmente necessário removê-la, em um processo mais complexo, que envolve cortes na região inguinal (virilha) e tornozelo. Estas incisões são um pouco maiores e necessitam de sutura. 
A primeira e maior vantagem da cirurgia convencional de varizes é a sua tradição: é procedimento realizado há décadas, com milhões de pacientes operados, o que garante um amplo conhecimento da técnica e com resultados de curto e longo prazo muito bem conhecidos. Os resultados estéticos da técnica convencional bem aplicada são bem satisfatórios e usualmente contam com a aprovação dos pacientes. 
A remoção cirúrgica convencional da safena tem ainda a vantagem de permitir a abordagem completa de todas as veias superficiais da virilha, o que reduz o risco de retorno da doença varicosa. 
Entre as supostas desvantagens da cirurgia convencional da veia safena está, como já dito acima, a necessidade de suturas na perna, além de maior risco de hematoma e dores no processo de sua retirada. 
Em conclusão, a cirurgia convencional de varizes é um procedimento consagrado, com resultados muito satisfatórios e conhecidos. Novas técnicas cirúrgicas no tratamento de varizes são muito interessantes e têm seus atrativos, mas o que é mais moderno não é necessariamente o melhor para cada paciente.
Cirurgia Vascular

Fonte: http://www.minhavida.com.br/beleza/materias/17236-cirurgia-convencional-de-varizes-ainda-e-o-metodo-mais-usado-para-esse-problema


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário.