terça-feira, 29 de outubro de 2013

Distrofia Muscular de Duchene

Essa é a forma mais frequente de distrofia muscular. Ocorre em meninos, e os primeiros sinais de fraqueza muscular surgem assim que começam a caminhar, ao redor dos três aos cinco anos de idade.

Inicialmente percebe-se quedas frequentes, dificuldades para subir escadas, de mover-se em geral, levantar-se do chão e correr, principalmente quando comparadas a crianças da mesma faixa etária. Geralmente caminham na ponta dos pés, pois o tendão de aquiles fica rígido com o tempo.

É um distúrbio genético ligado ao cromossomo X, que afeta principalmente indivíduos do sexo masculino. Caracteriza-se pela degeneração progressiva e irreversível da musculatura esquelética, levando a uma fraqueza muscular generalizada.

O tratamento é feito com fisioterapia, para melhorar a qualidade de vida do paciente e ainda não existe cura ou tratamento que retarde sua progressão. A terapia gênica, uma possível cura para DMD, está sendo pesquisada e consiste em introduzir no DNA, um gene sintético, que compensará o gene deletado.

A distrofina é uma proteína presente membrana da fibra muscular ou sarcolema, responsável por estabilizar a membrana. A falta de distrofina faz com que ocorram pequenos rompimentos do sarcolema, provocando micro furos, que aumentam a passagem de Ca++ para dentro da célula, levando essa fibra a necrose.

As fibras necrosadas vão sendo substituídas por outras até que a frequência de destruição celular seja tão grande que o tecido seja substituído por tecido adiposo e conjuntivo. É nesse estágio que a debilidade começa, ficando cada vez mais grave.

Com o progredir da doença ocorre comprometimento dos músculos dos membros superiores. A fraqueza progressiva evolui para incapacidade de andar, entre 8 a 12 anos. O principal fator para esse paciente não conseguir deambular já entre a infância e pré-adolecência, são os vícios de posturas adquiridos ao longo do tempo, buscando posições mais confortáveis e que não sejam doloridas.


Fonte: Portal de Fisioterapia


Um comentário:

  1. Achei a postagem uma curiosidade... gostei do texto e eu realmente não conhecia, mas entendi!!!
    Beijos e deixo o convite para o aprendendocuriosamente.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário.