quinta-feira, 25 de abril de 2013

Cromoterapia



Cromoterapia é a prática da utilização das cores na cura de doenças. 
Vem sendo utilizada pelo homem desde as antigas civilizações como Egito antigo, Índia, Grécia, e  China.
Com o objetivo de harmonizar o corpo, atuando do nível físico aos mais sutis.
Para Hipócrates, saúde e doença dependem da harmonia entre o meio ambiente , o corpo e a mente.
Os adeptos da cromoterapia entendem que cada cor possui uma vibração específica e uma capacidade terapêutica. 
Isaac Newton no século XVII conseguiu descobrir as cores do arco-íris friccionando um prisma
O cientista alemão Johann Wolfgang Von Goethe, no século XVIII, pesquisou durante cerca de 40 anos as cores e descobriu que o vermelho tem propriedade estimulante no organismo, o azul acalma, o amarelo provoca sensações de alegria, e o verde é repousante. 
Esses efeitos são mais ou menos intensos, dependendo da tonalidade usada.
A cromoterapia consta da relação das principais terapias holísticas reconhecidas pela  OMS desde 1976, de acordo com Conferência Internal de atendimentos Primários em Saúde de 1962, em  Alma-Ata, no Cazaquistão.



A palavra tem origem no grego "khrôma" que significa "cor".
Contudo, a cromoterapia só chegou ao Ocidente no século XIX. 
Nos dias de hoje, a cromoterapia está relacionada com as sete cores do espectro solar, e normalmente um suporte com uma lâmpada de 25 watts é usada no tratamento, onde é colocado a 5 centímetros da pele, atuando durante aproximadamente 3 minutos.
Esta terapia alternativa tem muitos críticos na comunidade científica, que afirmam que no caso da cromoterapia, o efeito placebo é um fator muito importante na cura de alguns pacientes.
Em muitos casos, as sete cores usadas na cromoterapia estão diretamente ligadas aos chakras, que são considerados campos de energia que têm influência nas nossas emoções e corpos.


Um comentário:

Obrigada por deixar seu comentário.