quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Boldo


Após toda comida do natal preciso de chá para digestão e desta vez fiz uso do boldo, tenho vários tipos de ervas em casa, gosto muito de ter sempre um remédio natural à mão.
Lembrando que todas as ervas tem suas contra-indicações.


Nome científico: Plectranthus barbatus 
Nomes populares: Falso-boldo, boldo nacional, malva-santa, malva-amarga, boldo-do-brasil, boldo-do-reino, alumã e sete-dores.
Família: Labiatae /Lamiaceae.

Aspectos agronômicos
Deve-se plantar logo após a retirada do ramo ( pedaços de ramos de uma planta-mãe ) e, de preferência, em período chuvoso, para facilitar a pega. Na ausência de chuvas, regar diariamente até a pega, e depois mais espaçadamente. Não é exigente quanto a solos. As folhas já podem ser colhidas poucos meses após o plantio ( a cada 4 meses ). Durante a floração, as folhas perdem parte de suas propriedades terapêuticas, por isso devem ser colhidas antes desse período.
Parte usada: Folhas frescas.

Constituintes químicos
Óleo essencial rico em guaieno e fenchona; contém ainda barbatol, barbatesina, cariocal e barbatusol.
OBSERVAÇÃO
Não se deve confundir o nosso boldo-nacional, erva aromática de 60-80cm de altura, com o verdadeiro boldo-do-chile ( Pelmus boldus ), árvore originária do Chile, de mais de 8m de altura.
O boldo-nacional possui as mesmas propriedades do boldo-do-chile.

Uso Fitoterápico
Afecções hepáticas ( hepatite, cólicas, congestões, etc )
Afecções febris
Afecções gástricas
Dispepsias
Flatulência
Obstipação
Inapetência
Cálculos biliares
Debilidade orgânica
Insônia
Ressaca alcoólica.

Outros usos
Das raízes de planta muito semelhante ( Coleus forskolli Briq. ) extrai-se o Forskollin , reagente empregado em técnicas farmacológicas especias.

Riscos
Pode produzir irritação da mucosa do estômago, se usado em doses elevadas.
Parece apresentar efeito cardioativo.

Doses utilizadas
Uso interno

Chá por decocção, dosagem normal, atuando nas afecções hepáticas e vesiculares, e influenciando, assim, beneficamente a digestão. Sumo: amassar 2 folhas em 1 copo e completar com água .
Tomar 2 a 3 vezes ao dia.

Uso externo
Chá por decocção, sob a forma de banhos, agindo como tranquilizante e proporcionando um sono reparador.
Tintura: 20g de planta fresca em 100mL de álcool. Tomar 20 a 40 gotas no momento do incômodo, ou até 3 vezes ao dia.

Bibliografia
Caribé,J.;Campos,J.M.Plantas Que Ajudam o Homem.São Paulo: Pensamento,11ªedição,1999.
Martins,E.R.;Castro,D.M.;Castellani,D.C.;Dias,J.E.Plantas Medicinais.Viçosa: UFV, 2000.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário.