segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Princípios Ativos Cosméticos


Os princípios ativos são responsáveis pela ação características de cada cosméticos ou seja, pelos efeitos que o produto causa na pele. 
Ele é quem define a ações, como: adstringente, anti-inflamatória, anti-séptica, etc.
Quanto a origem, os princípios ativos podem ser de origem vegetal, animal ou biotecnológica.
Vou colocar aos poucos cada um deles.


A

Ácido Azeláico: bacteriostático e tem ação sobre a tirosinase, diminuindo a síntese de melanina. Concentração usual é 10 a 20%.

Ácido Bórico: levemente adstringente e anti-séptico. 

Possui propriedades bacteriostáticas e fungistáticas.

Ácido Esteárico: agente de consistência.


Ácido Cítrico: pode ser obtido de frutas ácidas como limão, laranja, tangerina, maracujá, entre outras. Possui propriedade acidificante em produtos cosméticos e domissanitários, como por exemplo, cremes, géis, loções cremosas e tônicas, shampoos, condicionadores e outros produtos capilares.Na área dermatológica pode atuar como componente de peelings químicos, através de sua ação como alfa-hidróxiácido.


Ácido Glicirrízico: Derivado do alcaçuz (Glicirriza glabra). Apresenta propriedades antiinflamatórias, antialergênicas e descongestionante. Concentração usual 0,1% a 2%.


Ácido Glicólico: alfa-hidroxiácido, é encontrado naturalmente na cana-de-açúcar. 

Aplicado sobre a pele provoca vasodilatação, diminui a espessura e a compactação do estrato córneo, acelera a renovação celular da epiderme e estimula a síntese de colágeno.
Uso cosmético concentração varia entre 2 a 10% e para peelings de 30 a 70%.

Em pH 6,0 o ácido glicólico torna-se um glicolato, um excelente agente hidratante. A medida que o pH aumenta, diminui a capacidade de renovação da pele. 
Em pH 3,8 torna-se um agente esfoliante e despigmentante.
Deve-se tomar cuidado com o tempo de aplicação, principalmente em concentrações maiores. 

Embora seja um produto seguro em comparação aos outros, em peelings, podem ocorrer efeitos colaterais indesejáveis, como: eritema persistente, hiperpigmentação, aumento da predisposição ao herpes simples e eventualmente, deixar cicatrizes hipertróficas.

Ácido Hialurônico: substância altamente hidrofílica (afinidade pela água) encontrada na nossa pele. Possui atividade biológica como principal glicosaminoglicana da derme, proporcionando visco-elasticidade a esta camada. Colabora no controle da hidratação da derme e no tônus da pele, além da prevenção da integridade das fibras de colágeno.
Pode ser obtido por fermentação de substrados de plantas, esta biossíntese é feita pela espécie de bactérias Streptococcus ou através da fermentação do açúcar de beterraba por lactobacilos. O ácido Hialurônico não penetra na pele, mas forma uma película superficial, não oleosa, que ajuda a manter a hidratação.
Atualmente é usado, como preenchimento para aumentar o volume dos lábios e tornar as linhas menos aparentes, suavizando rugas e cicatrizes. O preenchimento com ácido hialurônico dura entre 8 e 15 meses.


Ácido Kójico: obtido a partir da fermentação do arroz. É utilizado desde 1989 no Japão para o tratamento das hiperpigmentações. Tem efeito inibidor sobre a tirosinase, por quelação dos íons cobre, e conseqüente diminuição da síntese de melanina. Além disso, induz a redução da eumelanina em células hiperpigmentadas.
Não provoca irritação e também não é citotóxico.


Ácido Lático: está presente no corpo humano (p.ex., pele, cabelos e músculos). Diariamente, o corpo humano produz cerca de 120g de ácido lático. O ácido lático faz parte também do fator NMF (fator natural de hidratação), que retém a umidade na pele. Trata-se de um alfa-hidróxiácido encontrado no leite azedo e atua como regulador do pH em formulações cosméticas e agente antimicrobiano. Para a pele tem ação hidratante, umectante, indicado também para o clareamento e rejuvenescimento da pele.


Ácido Mandélico: trata-se um alfa-hidróxiácido e cuja molécula é maior do que do ácido glicólico tornando sua ação irritante menor. Possui ação antibacteriana, indicada para acne não cística inflamatóra, suprimi a pigmentação, e promove o rejuvenescimento da pele envelhecida pelo sol e melhora a textura da pele. Além disso tem sido usado para preparar as peles para o peeling a laser.


Ácido Retinóico: esfoliante com ação reestruturante, aumenta a síntese de colágeno, sendo muito utilizado para tratamento de rejuvenescimento, estrias e manchas. Concentração usual 0,01 a 0,05% e em consultórios até 5%.


Ácido Salicílico: possui propriedades queratolíticas. É usado em aplicações tópicas em tratamento cosmético de hiperqueratinização e escamação da pele.


Ácido Tricloroacético: em concentrações de até 30% é usado para o tratamento de cicatrizes da acne e do envelhecimento cutâneo. Em concentrações maiores é usado no condiloma acuminato, verrugas e "peelings".


Alantoína: princípio ativo encontrado no confrei, nas sementes de tabaco, na beterraba, no germe de trigo. Favorece aproliferação celular acelerando a regeneração da pele lesada. Proporciona uma rápida epitelização em zonas lesadas da pele ou submetidas a um grande desgaste ou a interpéries do tempo. É excelente cicatrizante, calmante, amaciante sobre tecidos hiperqueratósicos em certas dermatoses. Usado em concentrações de 0,01 a 2%.


Álcool Cetílico: mistura de álcoois sólidos alifáticos. Usado em preparações tópicas como emoliente e base de consistência.


Álcool Cetoestearílico: emoliente e emulsificante.


Álcool Oleílico: agente de consistência.





Um comentário:

  1. Nossa, e a maioria dessas informações a gente nem procura saber né? Adorei o post!! Bju Bju

    http://peruaclassemedia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Obrigada por deixar seu comentário.