domingo, 19 de agosto de 2012

Óleos Essenciais Cítricos



As frutas cítricas são muito conhecidas e apreciadas há milênios em razão do seu aroma agradável e sabor apetitoso. Seu óleo essencial é obtido principalmente do sumo das cascas de seu fruto, mas pode ser também conseguido das flores (néroli), ou folhas (petitgrain). Dentre as mais conhecidas nós temos as laranjas, os limões, limas, tangerinas, mandarinas e o grapefruit.

Seus óleos essenciais possuem um vasto número de aplicações terapêuticas e industriais, e são muito importantes na economia mundial de derivados de cítricos. Dentre algumas destas propriedades, imagino que uma das mais conhecidas seja o uso de cascas de laranja queimadas para repelir pernilongos. Os óleos cítricos possuem em sua maioria um efeito repelente e inseticida de muitos tipos de insetos. Uma pesquisa do Departamento de Bioquímica Aplicada da Universidade de Nnamdi Azikiwee em Awka, Nigéria, mostrou que o óleo essencial da laranja doce, foi o que apresentou o melhor efeito inseticida, e a barata, dentre os insetos estudados, foi o mais suscetível aos efeitos do óleo.

 Um dos grandes segredos das propriedades terapêuticas dos óleos cítricos está no alto teor de monoterpenos que estes possuem. Monoterpenos são as menores moléculas que compõem os óleos essenciais, por este motivo penetram com extrema facilidade em todos os tecidos e células de nosso corpo e possuem uma poderosa ação solvente de lipídeos (gorduras). O monoterpeno presente em maior teor nestes óleos é o d-limoneno. Seu teor na laranja chega a 90%, no limão de 65-70%, na tangerina 70% e no grapefruit 95%.

Várias pesquisas científicas revelaram ele ter propriedades anti-cancerígenas, solvente de cálculos e de entupimentos nas artérias.

Sobre esta ação solvente, várias faculdades e laboratórios ao redor do mundo desenvolveram pesquisas sobre a capacidade do d-limoneno em dissolver cálculos de colesterol na vesícula. Num estudo dos Laboratórios de Pesquisa Shionogi em Osaka, Japão, dentre os participantes com cálculos de vesícula, cerca de 48% eliminaram por completo as pedras e 14,5% tiveram dissolução parcial delas sem nenhum efeito colateral usando o d-limoneno. Esta ação do d-limoneno sobre o colesterol e gorduras nós já tivemos a oportunidade de observar em pessoas com fortes problemas de entupimento das veias e arteriosclerose.


 Mandarina

O óleo essencial de limão possui dentre os cítricos uma mistura mais complexa de monoterpenos em sua composição que faz com que em alguns tipos de tratamento ele tenha uma ação ainda melhor que os óleos essenciais de laranja ou grapefruit. Além de 65% de d-limoneno, o limão também possui cerca de 10-20% de pinenos e mais ou menos 10% de gama-terpineno. Pesquisas japonesas revelaram que o gama-terpineno apresenta uma poderosa ação anti-oxidante capaz de inibir a oxidação do LDL (mau colesterol), impedindo assim que este acabe causando a arteriosclerose ou levando a pessoa a um infarto. Já o d-limoneno, age suprimindo a atividade da enzima hepática HMG-CoA reductase, um fator chave para a síntese do colesterol. Ele age também descongestionando o fígado, especialmente após a ingestão de grande quantidade de álcool e alimentos altamente gordurosos.

A ação sinérgica de vários terpenos no limão, cria uma ação muito poderosa na desobstrução de vasos sanguíneos. O uso de apenas 3-5 gotas de 3-4 vezes ao dia por um período de 1-3 meses tem mostrado resultados excelentes geralmente sem efeitos colaterais. Os casos raros de alguma sensação desagradável foram de enjôos, corrigidos com a diminuição da dosagem, ou alguns sintomas de desintoxicação (como coceiras e dores de cabeça) que passam a desaparecer com 1-3 dias de uso constante.

Através de exames de sangue foi possível observar melhoras notáveis nos níveis de LDL (mau colesterol), triglicérides e na desobstrução de vasos. Isto possibilita o uso do óleo essencial de limão como um auxiliar e complementador do tratamento médico tradicional, além de um agente preventivo nestes problemas. Um outro potencial do d-limoneno é no auxílio ao tratamento e prevenção de alguns tipos de câncer, especialmente nas fases iniciais do desenvolvimento da doença. Os tipos de câncer observados onde mostrou melhores resultados são os de próstata, estômago, fígado, intestinos, pâncreas, mama, pulmão e nas leucemias.
Mas como o d-limoneno age neste sentido?

Segundo estudos do Hospital Universitário de St. Radbound, Holanda, o d-limoneno age aumentando a atividade de uma enzima desintoxicante de carcinógenos do corpo, a glutationa S-transferase (GST). Aumentando os níveis de atividade desta enzima, aumenta também a sua eficiência em desintoxicar o corpo de substâncias causadoras de câncer, o que acaba por contribuir na prevenção e tratamento desta doença. O d-limoneno também age induzindo a apoptose as células cancerosas e/ou inibindo o crescimento celular através da inibição da prenilação de proteínas associadas a este processo. Estudos da Universidade de Purdue nos EUA com ratos, demonstraram que a quimioterapia com o uso de monoterpenos como o d-limoneno resulta numa rediferenciação dos tumores malignos em um fenótipo mais benigno.

Monoterpenos são agentes anti-tumor efetivos, não tóxicos para ingestão e que agem através de uma série de mecanismos de ação vindo portanto, a fazer parte de um amplo número de remédios naturais para o tratamento do câncer. Estudos do Departamento de Oncologia da Universidade de Wisconsin-Madison nos EUA demonstrou que o d-limoneno apresentou uma ação preventiva na indução do câncer mamário tanto nos estágios de formação quanto de progressão da doença. Eles observaram que este monoterpeno também causou a completa regressão da maioria dos cânceres mamários em ratos quando ingerido e que agiu especialmente na rediferenciação dos tumores de malignos para benignos.

Em pesquisas do Centro Médico de Osaka no Japão, observou-se que o d-limoneno age inibindo a proliferação de células cancerosas no pâncreas, mostrando um potencial muito útil no tratamento deste tipo de doença.

Limão

Os óleos cítricos são também uma boa alternativa para perda de peso

A Universidade Médica de Dalian, China, mostrou que o uso do d-limoneno no tratamento do câncer gástrico (BGC-823) apresenta excelentes resultados e que sua ação se deve a ele exercer uma ação citotóxica pela indução de apoptose destas células.

Desta forma, como os óleos cítricos são a maior fonte natural de d-limoneno, eles podem ser utilizados como favoráveis recursos no tratamento de vários tipos de câncer. As dosagens consideradas para seres humanos nestes tratamentos vão de 1-5ml diários. Outros monoterpenos e componentes presentes nos óleos cítricos apresentam uma ação semelhante e complementar à do d-limoneno.

Algumas pesquisas antigas sobre a ação em altas dosagens e a longo prazo do d-limoneno em ratos mostraram a capacidade deste ocasionar tumores e inflamações nos rins. Porém um considerável número de estudos de várias faculdades e centros de pesquisa internacionais indicaram que a toxidade renal do d-limoneno resulta da acumulação de uma proteína (alfa 2u-globulina) nos túbulos lisosômicos proximais nos rins de ratos machos. Esta proteína é sintetizada exclusivamente por ratos adultos machos e não por seres humanos. O d-limoneno, portanto não possui nenhum risco nefrotóxico ou carcinogênico para seres humanos.

Muitas das propriedades terapêuticas atribuídas à terapia com o uso do suco de limão, se deve à presença destes monoterpenos. Muitas vezes seus resultados são confundidos com a acidez do suco, que na verdade só age na alcalinidade do aparelho digestivo e do sangue. O óleo essencial não possui acidez como o suco, ele possui sim, um teor dezenas de vezes mais concentrado destes monoterpenos e por isso, sua ação medicinal e curativa é muito mais rápida e poderosa. Os óleos cítricos são também uma boa alternativa para perda de peso. O uso interno de 3-5 gotas 3 X ao dia de óleo essencial de laranja, limão, grapefruit ou uma mistura deles é o suficiente para se notar melhoras nas medidas com um período de 1-3 meses de uso. Estas mesmas dosagens servem para tratar pessoas que sofrem de gastrites e úlceras.

Os óleos essenciais cítricos, ricos em d-limoneno, apresentaram ação gastropotetora em experimentos feitos com ratos no Instituto de Biociências da UNESP, São Paulo.

Sobre a ação psicológica dos óleos cítricos, cientistas do Departamento de Fisiologia da Universidade de Siena, Itália, estiveram estudando o efeito da inalação do óleo essencial de limão sobre o sistema nervoso de ratos. Eles puderam avaliar que o óleo age baixando o teor de corticosterona nos animais por uma ação direta na hipófise na produção de um hormônio estimulante das supra-renais, o ACTH. Estes hormônios estão associados ao estado de stress e sensação de dor e, uma menor produção significa uma maior capacidade de suportar a dor e uma diminuição dos estados de ansiedade.




Grapefruit

De forma semelhante estes efeitos foram notados por dentistas com o uso do óleo de laranja em salas de espera de seus consultórios. Os óleos de laranja, tangerina, mandarina e grapefruit, também estimulam a alegria e diminuem a depressão.

Fonte: Por: Fábian László
www.aromalandia.org






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário.