quarta-feira, 4 de abril de 2012

Óleo de linhaça


Óleo de linhaça "Linum urtisatissimum"
                 As sementes do linho  rendem cerca de 34% de óleo que é caracterizado pelo seu alto teor de ácido alfa-linolênico (ômega 3), cerca de 50-52%. Contém também 15% de ácido linoleico, 19% de ácido oléico, 7% de esteárico e 6% de ácido palmítico. A maior parte de suas propriedades se dão devido ao seu alto teor de ácido linolênico.                            
                Ele é utilizado como suplementar na dieta para tratamento de distúrbios hormonais, da pele, alérgicos e outros, que possam advir de dietas pobres em ácidos graxos essenciais.
                É um dos óleos mais secativos que existem usado por isso em tintas e vernizes. Rança com extrema rapidez. Quando exposto ao ar espessa-se gradualmente e escurece (normalmente é amarelado e tem odor e gosto bem característicos). Ao rançar chega a formar uma verdadeira cola, por isso seu uso na allimentação tem de vir acompanhado de anti-oxidantes, ou usar-se a extra-virgem. É um óleo útil no tratamento de acnes e espinhas.O óleo de linhaça é rico, como se disse, em Ômega 3 e fitoestrógeno.
               O Ômega 3 promove uma ação protetora para o coração e vasos sangüíneos. Estudos demonstram que o óleo de linhaça reduz o colesterol total e o mau colesterol, conferindo uma proteção cardiovascular - é indicada contra arterioesclerose, trombose coronária, arritmia cardíaca. Contém uma substância chamada TAGLANDINA, que regula a pressão sanguínea e a função arterial e exerce importante função no metabolismo do cálcio e energia.
               O óleo de linhaça possui substâncias parecidas com os estrogênios (hormônios femininos) somente que de ação mais atenuada, melhorando a absorção de cálcio, prevenindo, por exemplo, a osteoporose. Paradoxalmente, estes fitoestrógenos parecem ter, também uma ação antiestrogênica, fato este que deve conferir uma ação contra os tumores dependentes do estrogênio, prevenindo sobretudo o câncer de mama e útero, através de uma ação nutracêutica direta nos receptores dos órgãos alvos. Age ainda como antiinflamatório ao lúpus-eritematoso e como antialérgico.
               O óleo de linhaça, como já referido, exerce ação protetora sobre o sistema cardiovascular pela ação do Ômega 3 e, também, pelo fitoestrógeno que faz parte da sua composição, melhorando a elasticidade das artérias, e desta forma a irrigação sangüínea (útil em casos de varizes, tromboses, etc...). O óleo de linhaça possui ademais ação antioxidante contra os radicais livres, que quando em excesso, provocam doenças crônico degenerativas e envelhecimento precoce.
               Vários estudos científicos corroboram a ação do Ômega 3 em distúrbios da memória, casos de depressão, irritabilidade, síndrome do pânico, distúrbio bipolar, esquizofrenia, crianças hiperativas, problemas de memória, cognição, dentre outros.
               Pesquisas do Instituto Científico para Estudo da linhaça (Canadá e EUA), tem enfocado atenção sobre as ações desta semente na prevenção e cura de doenças degenerativas, como a artrose e artrites.
              Segundo os estudos, a linhaça possui 27 componentes químicos que tem ação anticancerígena, sendo uma das principais a LIGNINA.
                É ainda, um excelente óleo no tratamento de cabelos e peles ressecadas e envelhecidas - é ideal para ser utilizada nos tratamentos de eczemas e psoríase.
                O consumo regular do óleo ou das sementes de linhaça moídas favorece o controle dos níveis de açúcar no sangue - auxilia no controle da diabetes, fungos, etc.         
Fonte: Laszlo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por deixar seu comentário.